ATENÇÃO Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.

Acesso myCasaYES
Introduza os seus dados de acesso
entrar Acesso Negado!
» Recuperar password
Recuperar Password
Introduza o seu e-mail de acesso
  • »
  • »
  • »
  • »
  • »
sessão de comparação:
» Nova sessão
título da sessão: » Sessão existente
adicionar
Por favor preencha os campos obrigatórios
Registe-se no myCasaYES
Vantagens de ser um utilizador registado:
  • » Possibilidade de criar multiplas sessões de comparação em paralelo
  • » Possibilidade de adicionar imóveis a diferentes sessões de comparação já existentes
  • » Possibilidade de editar/customizar sessões de comparação
  • » Outras vantagens
  • » Registar / Entrar
Acompanhe-nos YouTube Vimeo

Localização:

Clique no mapa ou escreva o distrito, o concelho e/ou a freguesia
ToBuy Fields
ToRent Fields
ToVacationRent Fields
ToOtherBusiness Fields
menos opções
PT EN ES

Notícias

Lista das últimas novidades imobiliárias

Em plena pandemia, franceses da Corum recomendam investir no imobiliário em Portugal

Em plena pandemia, franceses da Corum recomendam investir no imobiliário em Portugal

20/04/2020

“É sempre um investimento menos volátil que o mercado acionista para os investidores”, considera a empresa

A francesa Corun Investments – inaugurou no ano passado o seu escritório em Portugal e já investiu 60 milhões de euros no país desde 2014 – considera que investir em imobiliário é sempre “menos volátil” que investir em ações, sobretudo numa crise como a que se vive atualmente, iniciada pela pandemia do novo coronavírus.
“O imobiliário é sempre um investimento menos volátil que o mercado acionista para os investidores e mais ainda em tempos de turbulência”, disse José Gavino, diretor da Corum em Portugal, citado em comunicado. 
Segundo o ECO, que se apoia no documento, a atividade da Corum dedica-se exclusivamente à compra de ativos comerciais, para depois os arrendar, através dos seus dois fundos de investimento: o Corum Origin e o Corum XL.
“Com a Corum, o investidor sabe sempre quais são os edifícios comprados, a quem estão arrendados e por quanto tempo”, referiu o responsável, acrescentando que a empresa não investe “para especular”. 
Pelo contrário, aconselha os investidores a aplicarem o seu dinheiro em fundos de investimento imobiliário, de forma a “construir património a longo prazo”. Nesse sentido, desafia os investidores para, nesta altura de crise, usarem o reembolso do IRS como uma maneira de poupar a médio e longo prazo no mercado imobiliário.
A Corum tem atualmente uma carteira de ativos superior a 3,6 mil milhões de euros. Em fevereiro, investiu 60 milhões de euros no imobiliário nacional através da compra de 11 imóveis em várias zonas do país.
“Compramos imóveis em todo o mundo, arrendamo-los a várias empresas de diferentes setores, e distribuímos as rendas pagas pelos arrendatários aos nossos investidores. Com origem em 2011 em Paris, gerimos 3,6 mil milhões de euros e contamos hoje com mais de 140 colaboradores dispersos por sete escritórios e que contribuem, todos os dias, para a gestão eficaz do dinheiro dos nossos investidores. Hoje, 45 mil pessoas em todo o mundo investem connosco com o objetivo de rentabilizarem as suas poupanças”, lê-se no site da Corum

A francesa Corun Investments – inaugurou no ano passado o seu escritório em Portugal e já investiu 60 milhões de euros no país desde 2014 – considera que investir em imobiliário é sempre “menos volátil” que investir em ações, sobretudo numa crise como a que se vive atualmente, iniciada pela pandemia do novo coronavírus.
“O imobiliário é sempre um investimento menos volátil que o mercado acionista para os investidores e mais ainda em tempos de turbulência”, disse José Gavino, diretor da Corum em Portugal, citado em comunicado. 
Segundo o ECO, que se apoia no documento, a atividade da Corum dedica-se exclusivamente à compra de ativos comerciais, para depois os arrendar, através dos seus dois fundos de investimento: o Corum Origin e o Corum XL.
“Com a Corum, o investidor sabe sempre quais são os edifícios comprados, a quem estão arrendados e por quanto tempo”, referiu o responsável, acrescentando que a empresa não investe “para especular”. 
Pelo contrário, aconselha os investidores a aplicarem o seu dinheiro em fundos de investimento imobiliário, de forma a “construir património a longo prazo”. Nesse sentido, desafia os investidores para, nesta altura de crise, usarem o reembolso do IRS como uma maneira de poupar a médio e longo prazo no mercado imobiliário.
A Corum tem atualmente uma carteira de ativos superior a 3,6 mil milhões de euros. Em fevereiro, investiu 60 milhões de euros no imobiliário nacional através da compra de 11 imóveis em várias zonas do país.
“Compramos imóveis em todo o mundo, arrendamo-los a várias empresas de diferentes setores, e distribuímos as rendas pagas pelos arrendatários aos nossos investidores. Com origem em 2011 em Paris, gerimos 3,6 mil milhões de euros e contamos hoje com mais de 140 colaboradores dispersos por sete escritórios e que contribuem, todos os dias, para a gestão eficaz do dinheiro dos nossos investidores. Hoje, 45 mil pessoas em todo o mundo investem connosco com o objetivo de rentabilizarem as suas poupanças”, lê-se no site da Corum.


Fonte: https://www.idealista.pt/news/financas/investimentos/2020/04/19/43102-em-plena-pandemia-franceses-da-corum-sugerem-investir-no-imobiliario-em-portugal