ATENÇÃO Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.

Acesso myCasaYES
Introduza os seus dados de acesso
entrar Acesso Negado!
» Recuperar password
Recuperar Password
Introduza o seu e-mail de acesso
  • »
  • »
  • »
  • »
  • »
sessão de comparação:
» Nova sessão
título da sessão: » Sessão existente
adicionar
Por favor preencha os campos obrigatórios
Registe-se no myCasaYES
Vantagens de ser um utilizador registado:
  • » Possibilidade de criar multiplas sessões de comparação em paralelo
  • » Possibilidade de adicionar imóveis a diferentes sessões de comparação já existentes
  • » Possibilidade de editar/customizar sessões de comparação
  • » Outras vantagens
  • » Registar / Entrar
Acompanhe-nos YouTube Vimeo

Localização:

Clique no mapa ou escreva o distrito, o concelho e/ou a freguesia
ToBuy Fields
ToRent Fields
ToVacationRent Fields
ToOtherBusiness Fields
menos opções
PT EN ES

Notícias

Lista das últimas novidades imobiliárias

Emprego na construção com maior crescimento dos últimos cinco anos

Emprego na construção com maior crescimento dos últimos cinco anos

05-06-2017

Fonte: https://www.dinheirovivo.pt

O dinamismo do mercado imobiliário é apontado como "o grande responsável pela recuperação da atividade do setor da construção". 

O número de trabalhadores da construção aumentou 5,6%, para 303,7 mil, no primeiro trimestre deste ano. O setor registou, assim, “o melhor trimestre inicial dos últimos cinco anos” em termos de emprego, divulgou hoje a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (Fepicop). 
“O aumento do número de trabalhadores da construção neste período, mais 16 mil, representou 11% do acréscimo do emprego total da economia, o qual evoluiu de forma positiva até março: +3,2%. Verificaram-se igualmente sensíveis decréscimos no desemprego (-18,2%, em termos homólogos) e na taxa de desemprego que, ao descer para os 10,1%, atingiu o valor mais baixo desde o início de 2011”, destaca a federação em comunicado.
De acordo com a Fepicop, o ano 2016 já tinha encerrado com um crescimento de 4,5% do emprego no setor da construção. 
O dinamismo do mercado imobiliário é apontado como “o grande responsável pela recuperação da atividade do setor da construção”, sendo ainda referido o contributo positivo do mercado das obras públicas. 
Até final de abril registaram-se “crescimentos assinaláveis” nos valores dos concursos de empreitadas de obras públicas promovidos (um aumento homólogo de 69%) e nos montantes dos contratos já celebrados (77% acima do registado nos quatro primeiros meses de 2016), ano em que se atingiram valores mínimos de investimento público.
“Ainda assim, estes sinais de recuperação indiciam que o investimento público poderá vir a acompanhar, já em 2017, a tendência positiva do investimento privado”, nota. 
Para a federação, estes últimos números “demonstram que a construção está a desempenhar um papel relevante na recuperação da economia” e “a consolidação do crescimento evidenciado no primeiro trimestre, com a economia a crescer 2,8% em termos homólogos, pressupõe a recuperação sentida no setor da construção”.

O número de trabalhadores da construção aumentou 5,6%, para 303,7 mil, no primeiro trimestre deste ano. O setor registou, assim, “o melhor trimestre inicial dos últimos cinco anos” em termos de emprego, divulgou hoje a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (Fepicop). 

“O aumento do número de trabalhadores da construção neste período, mais 16 mil, representou 11% do acréscimo do emprego total da economia, o qual evoluiu de forma positiva até março: +3,2%. Verificaram-se igualmente sensíveis decréscimos no desemprego (-18,2%, em termos homólogos) e na taxa de desemprego que, ao descer para os 10,1%, atingiu o valor mais baixo desde o início de 2011”, destaca a federação em comunicado.

De acordo com a Fepicop, o ano 2016 já tinha encerrado com um crescimento de 4,5% do emprego no setor da construção. 


O dinamismo do mercado imobiliário é apontado como “o grande responsável pela recuperação da atividade do setor da construção”, sendo ainda referido o contributo positivo do mercado das obras públicas. 
Até final de abril registaram-se “crescimentos assinaláveis” nos valores dos concursos de empreitadas de obras públicas promovidos (um aumento homólogo de 69%) e nos montantes dos contratos já celebrados (77% acima do registado nos quatro primeiros meses de 2016), ano em que se atingiram valores mínimos de investimento público.

“Ainda assim, estes sinais de recuperação indiciam que o investimento público poderá vir a acompanhar, já em 2017, a tendência positiva do investimento privado”, nota. 

Para a federação, estes últimos números “demonstram que a construção está a desempenhar um papel relevante na recuperação da economia” e “a consolidação do crescimento evidenciado no primeiro trimestre, com a economia a crescer 2,8% em termos homólogos, pressupõe a recuperação sentida no setor da construção”.